Café Carrego, Janeiro, 2015

                                                                                  Santos, 20 de Janeiro 2015.

 

Café de carrego 01 de Janeiro, 2015 em sacaria de  60 kg :

  Estoques Privados Funcafe/Conab
1) Carreior 01/07/2014* 10,626,566    1,653,100
2) Safra 14/15 **** 48,850,000  
Desaparecimento

Julho/Dezembro 2014:

3) Leilão da Funcafe

  Julho / Dezembro 2014**                                           

  Nihil
4) Exportação Café verde

    Julho / Dezembro 14 **                            

 (16,995,915)  
5) Brazilian soluble coffee exports July/Dec 14 ** (1,726,768)  
6) Braz. estimated  local

consumption July/Dec 14***

(10,150,000)

 

 
7 ) Carry over 01/01/2014 30,603,883 1,653,100**
8)  Total availability including Government stocks as per 01 January 2015   32,256,983

                                

*    Estimativa de Carrego da Comexim 04/02/14.

 

**   Estatisticas Cecafe.

 

*** Números da Abic.

 

**** Expectativa de Safra revisada quando estimavamos 48.850,000 sacos, sendo 16,1 de Conillon e 32,750 de Arabica.

 O volume total de exportações do Brasil para 2014 foi impressionante. Uma real produtividade pode chegar a um total de 36, 3 milhões de sacas entre o café verde e exportações de solúvel. A receita total atingiu US $ 6, 5 bilhões, ou US $ 181, 00 por saco. O record recente foi em 2011, quando o preço por bolsa atingiu US $ 259, 00. O desempenho 2014 não irá provavelmente ser visto este ano.

 Se projetarmos o consumo interno e externo, entre janeiro e junho deste ano, nós podemos terminar o primeiro semestre com cerca de 4,4 milhões de sacas, incluindo o café Funcafé. (10,15 milhões para o consumo interno, 1,7 milhões para o solúvel e 16 milhões para as exportações de café verde.).

 Hoje dos 32,2 milhões de sacas de transição conforme 01 de janeiro, acreditamos que correspondem de Arabica para 22,6 milhões de sacas, 8 milhões de conillon e 1,6 para os números de café velho Funcafé.

 A situação atual é de tensão e grandes preocupações. As temperaturas foram mais elevadas do que em anos normais, devido a uma alta pressão tropical de uma massa de ar quente sobre o nosso continente, bloqueando as frentes de ar frio e não os deixando a penetrar em nossa região.

 Durante os meses de novembro e dezembro, as chuvas finalmente voltaram depois de um longo tempo de volumes irregulares e baixos. Janeiro até agora houveram baixos volumes de chuvas, muito irregulares e em lugares que não precisam da chuva. São Paulo foi inundada pelo menos duas vezes, mas até nos reservatórios Cantareira os números caem quase diariamente. Na segunda-feira houve cortes de energia – apagões – no sudoeste e sul do Brasil, deixando pessoas presas no sistema de metrôs que influenciaram a taxa de USD. No dia 19 a taxa de USD subiu 1,3%, enquanto as ações de energia caíram cerca de 4%. Hoje, a tendência reverteu e o USD voltou para R $ 2,63.

 A expectativa da Somar estiver correta, as chuvas devem retornar até quarta-feira dia 21 e saciar as necessidades dos reservatórios, campos e reverter o sentimento de dejá vu.

 Finalmente  vamos reverter mais tarde com os nossos números finais para a próxima safra, uma vez que as chuvas voltem à normalidade.

Esta entrada foi publicada em Coffee Report. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *